Publicado 21/10/16 às 11:47

Coluna do Celson Bianchi


Três perguntas para ... Ricardo Vale (PT)- deputado distrital 

Celson Bianchi- Deputado Ricardo Vale, o PT está passando por uma crise nas direções da legenda atualmente. Como seria o processo de renovação das direções e quais os próximos desafios para o partido?

Ricardo Vale- Avalio que é preciso acabar com o PED (Processo de Eleições Diretas), pois esse método de eleição já está viciado, não representa os anseios de uma militância que quer debater, trocar ideias, não só chegar lá e votar em alguém que ela nem conhece. A minha linha, que é uma linha unitária de um grupo dentro do PT, é que o partido chame um congresso, para esse ano ainda, e de lá saia as novas direções do Partido dos Trabalhadores.
Unificar o partido, fazer autocrítica dos erros, pensar os próximos anos do desenvolvimento social e econômico no Brasil e convencer a sociedade de que o PT ainda é um partido ideologicamente de esquerda, ligado aos movimentos sociais e mais frágeis socialmente. O PT não pode ser sinônimo de corrupção. Acho que esses são os principais desafios e para que eles possam se tornar reais, só uma outra direção, sem os vícios antigos, para dar conta.

CB- Como está a situação do PT no Distrito Federal?

RV- A situação do partido em todo Brasil é muito ruim, vide o que aconteceu com o PT nessas últimas eleições. No DF não existe uma situação de crise específica, aqui se reproduz a crise do partido no geral. Existem disputas, existem aqueles que desejam mudar e aqueles que querem deixar como está. Vamos ver como ficará!

CB- E a Bancada do PT na Câmara Legislativa?

RV- Recentemente nossa bancada teve um abalo que foi amplamente noticiado nos jornais. No dia 12 de outubro o deputado Wasny de Roure anunciou que estava deixando a liderança da bancada. Foi uma decisão precipitada, em minha opinião, mas ele estava magoado com alguns episódios pontuais e acabou externando um desejo pessoal. Na quinta-feira (20/10) nos reunimos e pedimos para que o deputado revisse essa decisão e voltasse a liderar a bancada do PT na CLDF. Wasny topou e continua na liderança até fevereiro de 2017, quando faremos o rodízio de posição entre os deputados novamente.

Baixa 

O Secretário-Adjunto de Justiça, José Carlos Carneiro de Mendonça Neto, foi exonerado do cargo. À publicação no DODF diz que foi "a pedido". Ele é filho do ex-administrador de Águas Claras, Manoel Carneiro. Para ser nomeado no cargo, Mendonça Neto havia solicitado baixa na Polícia Militar, onde era soldado. 

Mal presságio 

Se a chuvinha da última quarta feira foi suficiente pra causar estragos em Samambaia e no Recanto das Emas, a chegada das chuvas mas fortes previstas pro final deste mês e nos próximos deve ligar o sinal de alerta da Defesa Civil. Afinal as áreas de risco continuam ocupadas e as possibilidades de enchentes e buracos nas vias, tornam as chuvas uma dor de cabeça anunciada. Já há quem pense em convocar o Cacique Cobra Coral, pra prever o futuro.

Acessibilidade? 

Ao avaliar a acessibilidade em 104 unidades de prestação de serviços públicos e em 108 vias de acesso a elas, o corpo técnico do Tribunal de Contas do Distrito Federal constatou que, no DF, nenhum prédio público avaliado cumpre todos os requisitos de acessibilidade e mais de 99% dos trajetos até eles estão comprometidos por falhas. Os Centros de Ensino Especial chamaram atenção por apresentarem problemas em todas as 13 unidades da amostra.

Reflexão do dia 

O TSE é uma excrescência, nenhum país precisa de tribunal eleitoral. Gastam muito e trabalham pouco. É muita mordomia. 

Hélio Doyle- jornalista 

Fonte: Jornal Alô Brasília 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados