21/08/2017 às 10:10

Falta do PR



Informações Milena Lopes, Jornal de Brasília 

Os políticos que formam o blocão da direita já deixaram claro quem está dentro do seu barco em 2018: PTB, PSDB, PMDB, PP e DEM. Não sentaram à mesa representantes do PR, de José Roberto Arruda e Jofran Frejat. 

As conversas do candidato derrotado por Rollemberg nas últimas eleições com o grupo do presidente da Câmara, Joe Valle (PDT), estariam avançadas. Mas ainda falta muito tempo para 2018, é o que dizem.

18/08/2017 às 11:25

Pesquisa mostra como está a disputa ao Buriti


Tivemos um pequeno acesso, a Pesquisa do Instituto Opinião & Exata. Esse levantamento foi feito recentemente.  Os números nos dão uma noção de como está a disputa ao Palácio do Buriti. 

Alguns nomes que pontuam nessa pesquisa não irão disputar o GDF em 2018. Portanto, tirem as suas conclusões.  

Obs.: Essa pesquisa não é fake. Esse blog não se presta a este serviço. 

Fonte: Redação

17/08/2017 às 10:09

Rollemberg na solidão


Será que o governador Rodrigo Rollemberg se deu conta que os partidos "aliados" estão articulando pelas suas costas? Um exemplo é o PDT-DF que articula uma candidatura majoritária do presidente da Câmara Legislativa Joe Valle. 

As eleições de 2018 estão chegando e a solidão do governador Rollemberg é articulada nos bastidores. 

Será que os palacianos estão atentos?

Fonte: Redação

16/08/2017 às 15:29

Frente partidária se une para 2018


A sucessão ao Palácio do Buriti continua tomando conta dos restaurantes da cidade. Os presidentes do PMDB-DF, PTB, PP, DEM e PSDB se reuniram nesta quarta-feira,16. O intuito do grupo é mostrar união e lançar um só nome da frente partidária. 

Estiveram reunidos: Alberto Fraga, Alírio Neto,  Roney Nêmer, Tadeu Filippelli e Izalci Lucas. Na reunião ficou definido que será montada uma especie de coligação e um desses nomes será o candidato ao Palácio do Buriti. 

Quem tiver a menor rejeição e bons números nas pesquisas eleitorais terá um bom staff para concorrer contra o governador Rodrigo Rollemberg. 

Uma pitada de pimenta 

Um passarinho nos contou que esse mesmo grupo não anda gostando das movimentações do PR-DF. A acusação é que o PR está querendo colocar o nome de Jofran Frejat de goela abaixo. Sobre isso, ninguém quer falar, mas o passarinho ouviu as lamúrias do grupo. 

Fonte: Redação

às 10:30

Polícia Civil engrossa para o lado do governo


Informações Milena Lopes, Jornal de Brasília 

Após uma assembleia na porta do Palácio do Buriti, com momentos de tensão e quase invasão por parte dos policiais civis, o governo recebeu representantes da categoria e há chances de se retomar o diálogo entre Polícia Civil e governo. Na prática, nenhuma promessa foi feita à categoria. O secretário da Casa Civil, Sergio Sampaio, mandou dizer que estava incomunicável. E quem recebeu os representantes da categoria mais o deputado distrital Cláudio Abrantes (sem partido) foi o subsecretário de Relações do Trabalho e do Terceiro Setor, Márcio Gimene, que deixou claro que nada poderia resolver.

Sem bonecão

Presidente do Sindicato dos Policiais Civis, Rodrigo Franco disse que este foi um “gesto de boa vontade” da categoria, que espera uma proposta concreta antes da assembleia marcada para a próxima terça-feira. “Não trouxemos o bonecão. Mas vamos fazer os bonequinhos”, disse, no encontro, em referência aquele boneco inflável do Pinóquio.

Mais reunião

Para a categoria, o encontro sinaliza a reabertura do diálogo, já que Sergio Sampaio mandou dizer também que deve se reunir com os demais secretários e dar um retorno para a categoria antes da assembleia.

Quase amigos

O deputado federal Laerte Bessa (PR) foi um dos passou pela assembleia dos policiais civis e disse ter atendido, recentemente, a um pedido do governador Rodrigo Rollemberg para que pedisse ao presidente Michel Temer que não vetasse o projeto que equipara o ICMS na região Centro-Oeste. “Eu estava mais próximo do governador, contra minha vontade. Mas, pelo jeito, estou vendo que será impossível negociar”, disse.

Pelos meios federais

O parlamentar ressaltou que continua lutando pela paridade da categoria e tem se reunido semanalmente com o presidente Da República para tentar construir um caminho viável para atender aos anseios dos policiais.

15/08/2017 às 19:14

O Delegado Macho!

GIOVANNA BEMBOM/METRÓPOLES

No Recanto das Emas aconteceu uma das coisas mais constrangedoras que eu já vi no meio policial. A matéria esta aqui. Resgate de bandidos em uma viatura da Polícia Civil do DF, ninguém tinha visto.

O pior, a viatura foi apedrejada por "populares" e assim os pebas foram resgatados. Não tem tapa pior na cara da sociedade. Sempre vou repetir: a Polícia é a malha protetora da sociedade. 

Eu prefiro as forças polícias e não estou nem aí para os bandidos. Quem pega uma arma para aterrorizar o cidadão está sujeito a tudo. Cana e vala são os destinos.

Nesses lamentáveis episódios temos que ressaltar primeiramente o delegado 27ª Delegacia de Polícia, Doutor Pablo Aguiar. Depois toda a Polícia Civil que não permitiu essa afronta. 

Conheci esse delegado quando eu estava começando como repórter do Jornal das Cidades lá no Paranoá. Isso deve ter uns sete anos. Com ele no comando bandido pia fino. 

Depois desse resgate, o delegado Pablo com os seus colegas policiais mostraram quem manda. Todo aparato policial e a força do Estado foram empregadas. Por mais que a situação política do DF esteja confusa bandido aqui não se cria. 

Pablo Aguiar mostrou que bandido não pode afrontar a força policial e muito menos a sociedade. 

E quem ousar a enfrentar qualquer força policial de Brasília saiba que estará fazendo um péssimo negócio. 


Fonte: Redação

às 18:36

Rollemberg na mira


O momento político do Brasil não é dos melhores. Em Brasília não é diferente. A instabilidade política toma conta de toda a cidade as vésperas de uma eleição. Nem sabemos ao certo como serão as regras eleitorais. Um samba do crioulo doido.

Uma coisa é certa. O governador Rodrigo Rollemberg irá pagar muito caro e a conta virá nas próximas eleições. A ameaça de parcelamento de salários dos servidores está atingindo diretamente os seus planos eleitorais. As ira política são todas apontadas para o governador. 

Na esteira dessa crise ainda não sabemos quem serão os nomes dessa disputa. Conversando nos bastidores os políticos reconhecem uma crise financeira nos cofres públicos e dizem que o atual governador foi a pessoa errada para administrar todo esse pepino. 

Nesse redemoinho que se tornou a instabilidade política está o cidadão que tem o poder do voto. Hoje no DF temos racionamento, segurança pública de mal a pior e saúde pública nem se fala.

 Em 2018 o eleitor terá que ficar mais atento que nunca. 

Eleitor coadjuvante está nos colocando nesse buraco quase sem fundo. 

Está dito! 


Fonte: Redação   


 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados