Publicado 11/11/16 às 18:36

Sem chances de impeachment

A deputada distrital Celina Leão (PPS) sonhava em voltar para a presidência da Câmara Legislativa do DF depois de ter sido afastada pelo Tribunal de Justiça do DF pela Operação Drácon. 

O jeito era recorrer a uma instância superior. Não deu.  Nesta sexta-feira,11, o Superior Tribunal de Justiça (STJ)  negou liminar para que a parlamentar voltasse a exercer a presidência da CLDF. Essa notícia todo mundo já sabe. O que há por trás dessa notícia? Isso que importa. 

Sucessão 

A não volta de Celina é um alívio e tanto para o Palácio. Os pedidos de impeachment do governador Rodrigo Rollemberg irão todos para a gaveta. E tudo indica que a parlamentar não volta mais para a presidência. Não haveria tempo hábil para reverter a situação. 

Nesse caso, o governador acordou e já trabalha nos bastidores para fazer o próximo presidente da Câmara. O preferido de Rollemberg seria o presidente tampão, Juarezão (PSB). Porém, nos bastidores está apalavrado com Agaciel Maia (PR) que traz os distritais do PT-DF a tiracolo. 

O futuro 

Quem esperava impeachment de Rollemberg ou algo do tipo pode esquecer. Com o afastamento de Celina da presidência o caminho está livre rumo as gavetas.

Para Celina Leão (PPS) só resta provar a sua inocência. Já Rollemberg deve estar comemorando bem discretamente a decisão da justiça. 

Esse é o verdadeiro resumo da opera. 

Fonte: Redação 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados