Publicado 05/10/16 às 00:04

Coluna do Celson Bianchi

CPI

Os membros da CPI da  Saúde, da Câmara Legislativa, decidiram ouvir amanhã (06) o depoimento do defensor público André Moura, que atuou na Opeação Drácon, da Polícia Civil, que investiga supostas  negociações de propinas a deputados distritais da Mesa Diretora afastada, acusados de favorecer empresas privadas no pagamento de dívidas com UTIS. A reunião ordinária da CPI acontecerá no plenário da Casa. As informações foram anunciadas pelo presidente da CPI, deputado  Wellington Luiz(PMDB).

Saiu

O padre Alessander Capalbo pediu exoneração do cargo de administrador do Paranoá. Ao sair, divulgou uma mensagem que deixa implícito um problemão. "Tem valores da vida que nós nunca podemos abrir mão e são estes valores que me fizeram tomar esta decisão", disse Capalbo. Para bom entendedor, meia palavra basta.

Por falar...

É só promessa. Com o aparelho de raio X sem funcionar funcionar há mais de 30 dias, as pessoas que procuram o Hospital Regional do Paranoá sofrem com o descaso. Toda semana um novo prazo é anunciado e a revolta aumenta a cada dia. 

Outubro Negro

De nada adianta batizar o mês de outubro de rosa, como forma de chamar a atenção para o grave problema do câncer de mama, se a rede pública saúde não dispõe de equipamentos para o diagnóstico, nem de remédios para quem precisa. Melhor chamar pelo nome de verdade "outubro negro", e bota negro nisto.

Defesa

Depois que o deputado Wasny de Roure pediu a supressão do Parque do Gama da lista dos imóveis repassados ao Instituto de Previdência dos Servidores (Iprev), o GDF recuou. O terreno no Gama foi substituído por outros três — em Águas Claras, no Jockey Club e no Setor Noroeste. A área fazia parte de um total de 108 imóveis a serem doados e desapropriados, conforme sugerido em dois projetos de lei enviados à Câmara Legislativa em 12 de setembro.

Defesa 2

O problema é que boa parte dos imóveis ofertados pelo GDF não tem liquidez. Para agravar a situação, se o governo não conseguir recompor o Iprev até 24 de novembro, o DF pode perder o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP), emitido pelo Ministério da Previdência Social, ficando impedido de receber qualquer receita ou repasse da União. O Buriti ainda depende da Câmara Legislativa para poder colocar o patrimônio à venda. 

Defesa 3

A recomposição é prevista na Lei Complementar que autorizou o Iprev-DF, temporariamente, a reverter parte do superávit do Fundo Previdenciário do DF para a manutenção do Fundo Financeiro. Com a transferência entre fundos, o governo de Brasília pôde contar com R$ 1,2 bilhão, de outubro de 2015 a janeiro deste ano, para pagar os salários dos servidores em dia.

Reflexão do dia 

Poderíamos discutir um seminário da infraestrutura, da educação, da saúde, do transporte e da segurança com esses prefeitos eleitos para ver como é que nós podemos ajudar, porque a solução para o Entorno é uma solução também para Brasília. 

Hélio José (PMDB/DF)- senador

Fonte: Jornal Alô Brasília 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados