Publicado 27/10/16 às 15:38

Coluna do Celson Bianchi



Celson Bianchi: Com a proximidade do Dia do Servidor Público, comemorado em 28 de outubro, como você vê a situação atual dos servidores no Distrito Federal (DF)?

Bispo Renato Andrade: O servidor público vive uma crise muito específica com a atual gestão. Houve momentos, em governos passados, que o servidor precisou se manifestar para ser ouvido, mas nada nesta proporção que passa hoje. Infelizmente o governador já mostrou que não valoriza devidamente o trabalho do servidor de carreira e isso complica muito a qualidade do serviço público no DF. Entendo que o pagamento dos atrasados, o reajuste salarial e a livre manifestação são apenas o primeiro passo para que o servidor comece a ver um avanço neste diálogo entre as categorias e o poder executivo. Quero estar enganado, mas no meu entendimento, não será nesta gestão que isso vai acontecer.

CB: Na sua opinião, qual deveria ser o primeiro passo do governo para melhorar esta situação?

RA: Para começar, o governador precisa parar de planejar o gasto do dinheiro público com futilidades, como a viagem do secretário de Turismo para Las Vegas, ou então com pautas impopulares, como a implantação das Organizações Sociais no sistema público de saúde do DF. É hora de rever a gestão do Estado e começar a trabalhar por um serviço público de qualidade. Falta pessoal nas escolas, nos hospitais. É preciso contratar mais servidores para suprir essa defasagem. Na última terça-feira, 25, o servidor público conseguiu uma grande vitória na Câmara Legislativa do Distrito Federal, que foi a derrubada dos vetos à Lei de Diretrizes Orçamentária, que impedia a nomeação de novos servidores. Se dependesse do governo, não haveria nomeação em 2017, ou seja, é o serviço público ficando mais uma vez em segundo plano. Não podemos e não vamos deixar isso continuar! É hora de o governador parar e rever suas atitudes, antes de que fato seja tarde demais.

CB: O servidor público gostaria de comemorar sua data. Há o que comemorar neste 28 de outubro?

RA: É difícil responder essa pergunta, pois não vejo nenhum avanço recente, que permita comemoração. Mas o Dia do Servidor Público é uma data justa e merecida. Assim como comemoramos o Dia do Professor ou o Dia do Médico, há sim a necessidade de reconhecermos o trabalho do servidor, e o 28 de outubro está aí para isso, para lembrarmos e valorizarmos este ofício. É uma pena que o governador não dê motivos para alegria. O sentimento do servidor, hoje, é de insatisfação e descontentamento. Mas desejo que esta situação possa ser revertida. Acredito no trabalho do servidor e sempre vou defendê-lo. A esperança não pode morrer. Parabéns pelo seu dia, servidor!


Ensino médio

A Comissão Mista, que analisa a medida provisória que reformula o ensino médio no Brasil, presidida pelo deputado federal Izalci Lucas (PSDB/DF), definiu, na última terça-feira (25), o plano de trabalho para as próximas semanas e preestabeleceu a data de 30 de novembro para encerramento dos trabalhos. 

Ensino médio 2

Neste prazo, cerca de 40 convidados da área de Educação deverão ser ouvidos nas audiências, que, a princípio, serão semanais, e já estão agendadas para os dias 1º, 9, 16 e 23 de novembro. O presidente da Comissão, Izalci Lucas, concorda com a data e o plano de trabalho que foi estabelecido pelo relator, senador Pedro Chaves (PSC/MS), e afirmou que caso este tempo não seja suficiente para ouvir a todos - que serão divididos em 8 convidados por audiência, este prazo será reavaliado. “Não temos dificuldade alguma em estender o prazo caso haja necessidade. Se preciso for, faremos audiências de segunda a domingo, mas este assunto é urgente e não pode mais esperar”, completou o deputado. 

Ensino médio 3

Izalci destaca que é importante que o texto seja aperfeiçoado na comissão, mas lembra que o tema já foi debatido por pelo menos 4 anos no parlamento antes de vir a ser uma Medida Provisória. “O texto da MP 746 é bastante semelhante ao de projeto de lei que tramitou durante anos na Câmara, com o apoio de praticamente todos os partidos e relatado pelo PT. As críticas da oposição não fazem sentido, já que eram a favor do projeto”, disse. 

Ensino médio 4

Sobre as duras críticas que vêm sofrendo sobre o assunto da reformulação ser analisado por meio de uma Medida Provisória, o tucano afirma que a forma de debate é o que menos importa. “Criticam o meio pelo qual a reforma está sendo feita, por MP. Mas isso é o de menos. O importante é fazer as mudanças tão necessárias para salvar o ensino médio”, finalizou.

Emperrado

Quando uma empresa não funciona bem, seu dirigente máximo deve adotar providências imediatas pra fazê-la funcionar. Uma das primeiras medidas é trocar a diretoria. E se não funcionar vai descendo na hierarquia, até que funcione. No serviço público deveria acontecer a mesma coisa. Se o governo não funciona, o governante deve tomar decisões e encontrar alternativas pra que funcione. Trocar secretários, presidentes, administradores, diretores e gerentes é medida que se impõe. Ninguém aguenta mais esta paralisia. Afinal, governo emperrado, cidadão indignado.

Tiro na água

A tentativa do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) de desqualificar os peritos que apontaram edição mas fitas apresentadas pelo delator da Caixa de Pandora e na escuta ambiental do equipamento da Polícia Federal (PF), cujo controle de ligar e desligar o aparelho também estava sob seu controle, enfrenta agora uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Tudo porque a perícia que derrubou as provas da Operação Monte Carlo foram referendadas pelo STF e os peritos são os mesmos. Assim a suspeita de que além das edições nas fitas de vídeos já comprovadas também por testemunhas, a escuta ambiental também tenha sido cortada no interesse da acusação, cujo trabalho dos peritos só mereceu elogios. Nem mesmo a tentativa de desqualificar o conteúdo da fita gravada na justiça, quando da conversa não republicana entre juiz e promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) parece ter chance de ser acolhida a menos que se façam ouvidos moucos.

Reflexão do dia

“28 horas sem luz!! 28 horas!!! E esta semana tem aumento na conta de luz. Pagamos caro por um serviço péssimo.  Aí sou a favor de abrir o mercado como fizeram com a telefonia. Está ruim? Troca de operadora. Mas e hoje qual a opção? Pagar e continuar a vida. A Ceb, Companhia Energética de Brasília, precisava de intervenção!”  Luiz Carlos Braga - Jornalista 

Fonte: Jornal Alô Brasília 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados