Publicado 17/10/16 às 09:10

Coluna do Celson Bianchi


Educação

Na semana que passou o governo federal enviou a Medida Provisória que reforma o ensino o médio. A proposta enviada ao Congresso é baseada nas conclusões feitas pela Comissão Especial da Câmara que durante dois anos debateu em todo o Brasil o Projeto de Lei 6840/2013. Para o deputado Izalci Lucas  (PSDB/DF), que presidirá a Comissão encarregada de analisar a MP, a situação é grave. “Além do aumento significativo da evasão escolar, aqueles que vão até o fim, não têm o conhecimento mínimo exigido para continuar seus estudos no nível superior”, revelou o tucano. “De outro lado, saem também sem nenhuma especialização profissional que lhes possa garantir um lugar no mercado de trabalho”, lamentou.

Educação 2

O Ensino Médio no Brasil tem piorado a cada ano e, nos últimos anos, entrou em colapso com um aumento expressivo de evasão escolar, bem como de um resultado vergonhoso em todas as avaliações feitas, tanto no nível nacional, quanto nos rankings internacionais. Estudo mostra que 1,3 milhão de jovens entre 15 a 17 anos abandonam escola todos os anos. Em 2004, eram 5%. Em 2014, 19% não chegaram sequer a terminar o primeiro ano. Segundo os dados mais recentes do Ideb, em 2011, 5,2 milhões de jovens de 15 a 24 anos estavam fora da escola e 58% estavam abaixo do nível de proficiência esperado.

Educação 3

Segundo Izalci, agora há de fato disposição para o debate e o entendimento de que a reforma deve ser prioritária. “O governo petista sabia que a situação era grave, mas optou por empurrá-la com a barriga. Agora que temos o reconhecimento do governo Temer sobre a importância e a urgência da reforma, não há porque adiá-la”, ressaltou o tucano. “Somente com um ensino público e gratuito de qualidade para todos será possível vislumbrar um Brasil desenvolvido e mais igual”, apontou Izalci.

Apoio

O deputado Joe Valle (PDT), ocupou a tribuna do plenário da Câmara Legislativa na sessão ordinária de quinta-feira (13), para cobrar uma solução para os catadores de recicláveis do DF, que segundo o próprio deputado estão morrendo à míngua.

Apoio 2

Joe Valle alerta que, apesar de prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos, a priorização da contratação de organizações de catadores para a coleta e triagem dos materiais recicláveis ainda é uma realidade rara no DF. Ele diz que isso só acontece por falta de estimulo e execução de serviços de manejo dos resíduos recicláveis por meio da contratação das organizações de catadores. "Precisamos dar qualidade de vida a essas pessoas, que somam mais de quatro mil, é preciso que se faça a coleta seletiva, não há nenhuma dificuldade para que seja feita", comentou o distrital.

Apoio 3

Já o deputado Rodrigo Delmasso afirmou que existe um convênio de R$ 26 milhões com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para a construção de galpão de triagens de processo seletivo em Brasília, para a aquisição de equipamentos de operacionalização das unidades de triagem e aquisição de caminhões a serem utilizados nas atividades de coleta e transporte de materiais recicláveis. "O que se torna necessário é o apoio e a instrumentalização das organizações, visando o seu fortalecimento, e sua legalização para uma gestão eficiente, efetiva, democrática e transparente", argumentou o parlamentar.

"Olho da cara"

Mesmo diante de uma grave crise financeira, o GDF vai pagar cachê de R$ 80 mil ao jovem cantor Zé Felipe, que se apresentou sábado (15) na festa de aniversário do Gama. O rapaz, de apenas 18 anos, filho do cantor Leonardo, é conhecido como o “Justin Bieber do Sertanejo”. Na apresentação de 90 minutos, como previsto em contrato firmado com dispensa de licitação, o artista deve cantar alguns de seus hits, como Você e eu.

Luta

A Câmara Legislativa quer votar amanhã (18), em plenário, dois projetos que preveem a anulação do decreto antigreves publicado pelo Palácio do Buriti no dia 6 de outubro. A ideia é derrubar a medida assinada pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) que prevê punições duras, como o corte de ponto e até mesmo demissão, a quem suspender a prestação de serviços.

Punição

O Ministério Público Federal (MPF/DF) apresentou à Justiça duas ações contra três ex-funcionários do Hospital SARAH de Brasília, por terem inseridos dados falsos no sistema de controle de medicamentos da REDE SARAH. Walison de Oliveira Gois, Itamar Rodrigues da Silva e Josemberque Pereira da Silva Costa responderão por inserção de dados falsos em sistema de informações e por improbidade administrativa. 

Punição 2

As investigações revelaram que, entre maio e agosto de 2010, os três inseriram dados falsos no sistema de movimentação de remédios para encobrir o extravio de 24 frascos de toxina botulínica (botox) e de 60 cápsulas de temozolomida, utilizados para tratamento de pacientes com dificuldade de locomoção e de tumores no sistema nervoso, respectivamente.

Reflexão do dia 

Sou favorável à PEC 241, em tramitação no Congresso Nacional, porque ela estabelece um limite dos gastos públicos, tornando o Brasil mais confiável e atrativo ao interresse econômico internacional. É importante também, focar no superávit para pagar a dívida. E o mais importante. Que se reduza os gastos públicos, sem aumentar os impostos para a população.
Delmasso (PTN)- deputado distrital 

Fonte: Jornal de Brasília 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados