Publicado 13/07/16 às 00:01

Coluna do Celson Bianchi


Entrevista especial Laerte Bessa (PR)- deputado federal

Celson Bianchi- Qual tem sido o papel do senhor na busca por melhorias salariais para as forças de segurança do DF?

Laerte Bessa: Tomei  iniciativa pessoalmente de procurar o governo federal na pessoa do presidente Temer, com quem dialoguei e mostrei a necessidade de reajustar os salários das três corporações da Segurança Pública do DF. Importante salientar que procurei o presidente que este exclusivo e único objetivo. Procurei também com a participação de [Tadeu] Filippelli e [Alberto] Fraga o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e ainda o ministro Dyogo Oliveira do Planejamento com este único objetivo, ressaltando que todos foram favoráveis às reivindicações dos policiais, mesmo porque o governo federal deu aumento a todos os poderes e nós fazemos parte do Poder Executivo federal.


CB- Será possível conceder reajuste salarial mesmo diante da situação financeira da União?

Os aumentos concedidos pelo governo federal, já estavam contabilizado no orçamento e estão divididos em três parcelas: 2017, 2018 e 2019. Os nossos vêm do Fundo Constitucional, que pertence a Polícia Civil,Polícia Militar e Corpo de Bombeiros e apenas para dar assistência eventual à Saúde e Educação. Este incompetentemente e preguiçoso governador anda desviando, mentindo para o povo de Brasília.


CB- Em relação à sucessão na Câmara dos Deputados, acredita que haverá consenso na base governista?

Não, a disputa ficará entre Rosso (PSD) e Giacobo (PR).

CB- A saída de Eduardo Cunha da presidência da Casa foi acertada?

Sim, estava passando  da hora. Ele perdeu no Conselho de Ética, que é soberano... e sua recusa estava sufocando a Câmara dos Deputados, que estava praticamente parada.

CB - O senhor teme algum desgaste na imagem por conta do apoio explícito que deu a Eduardo Cunha?

De forma alguma, estávamos votando apenas uma representação do PSOL por quebra de decoro, e Cunha não havia mentido na CPI da Petrobras quando disse que não tinha conta corrente no exterior. O que ele tinha era Trust... e que ficou provado que Trust não é Conta Corrente e sim um contrato particular. Votei consciente!

CB- Na sua avaliação, se o pedido de cassação do mandato de Eduardo Cunha for a Plenário, qual será o resultado?

Derrota esmagadora. Ele foi esmagado pela imprensa. Está certo que ele roubou muito, mas Dilma, Lula, Renan, Sarney e Collor, que deveriam estar presos, roubaram muito mais, sem contar o grande bem que ele proporcionou ao país ao extirpar Dilma/PT da nossas vidas. 


Denúncia

Representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do Distrito Federal (SINDIRETA) e da Associação de Servidores do Na Hora (Assosehora), entregaram à procuradoria-geral do Ministério Público de Contas (MPC/DF) um ofício em que apontam que funcionários terceirizados estariam prestando serviço em atividades-fim nos postos do Na Hora. A prática estaria ocorrendo na Companhia Energética de Brasília (CEB) e na Companhia de Desenvolvimento Habitacional (CODHAB).


Denúncia 2

De acordo com o ofício, a prestação dos serviços oferecidos pelo Na Hora cabe aos órgãos que aderirem ao projeto, devendo, necessariamente, serem desempenhados por servidores públicos e empregados públicos dos órgãos parceiros (distritais e federais), conforme determina legislação. Por decreto, “a prestação de serviços pelas unidades de atendimento será efetivada pelos servidores públicos distritais e federais vinculados aos órgãos e entidades que integrarem ao Programa”.


No pé

Depois de receber um abaixo-assinado com reclamações de 300 moradores da região, o Ministério Público do DF vai cobrar que os organizadores do evento “Na Praia”, espaço no Setor de Hotéis e Turismo Norte, cumpram as regras ambientais e urbanísticas.

Na orla

O Instituto Semeia que conta com investimento da Anima Investimentos, uma gestora de investimentos de um dos controladores da Natura Cosméticos, já teria apresentado um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), instrumento pelo qual os particulares formalizam seu interesse em propor estudos, projetos e soluções para a Administração Pública, com vistas à estruturação futura de um projeto de concessão ou de PPP.


Na orla 2

A proposta prevê zonas gastronômicas com 14 lotes comerciais na área do Parque Península dos Ministros, considerado o “filé mignon” da orla a ser explorado por 20 anos que dará a viabilidade econômica a quem for fazer a gestão. Um aluguel de um restaurante hoje na orla como no Pontão gira em torno de 150 mil reais por mês, diz ao Radar Marcos Coelho.


Na orla 3

O Instituto Semeia tema faca e o queijo nas mãos para fazer a gestão de parques entre o governo e atores privados e oferecer uma programação cultural e de lazer para os usuários, além de iniciativas que gerem receita para a manutenção dos locais, como restaurantes e quiosques. “O governador só está esquecendo de que no meio do caminho tem vários processos na justiça que colocam a orla, por enquanto, sub judice”, afirma o presidente da Associação de Moradores da QL-12 do Lago Sul.
  

REFLEXÃO DO DIA

"Irei enviar um documento ao Denatran pedindo a suspensão da lei que obriga todos os veículos a circularem com faróis acesos em rodovias estaduais e BRs. Brasília é cortada por diversas rodovias, mas a maioria são urbana. 2É um absurdo todos os veículos circularem pelo centro da cidade com os faróis acesos. Essa é mais uma decisão do diretor do DER que tem apenas um objetivo: arrecadar dinheiro!"

Fonte: Jornal Alô Brasília 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados