Publicado 15/06/16 às 00:01

Coluna do Celson Bianchi

No ranking

Com 11 projetos de lei aprovados pela Câmara Legislativa, o Deputado Bispo Renato Andrade (PR) está prestes a conseguir mais duas aprovações antes do recesso parlamentar. Já foram aprovados em primeiro turno o projeto cria um disque-denúncia de maus tratos aos animais e a proposta que cria o atendimento delivery dos restaurantes comunitários para idosos e pessoas com deficiência, restando apenas a votação em segundo turno. Bispo Renato Andrade, que é um deputado de oposição na Casa, está na lista dos que mais aprovaram projetos nesta legislatura. Realmente o cenário não é muito bom para a base governista...

Indignação

Causou indignação no Buriti a manifestação do deputado federal Rogerio Rosso (PSD ) sobre a falta de competitividade do DF, em evento promovido pelo Facebook. Afinal a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, justamente a responsável por viabilizar o setor, é comandada por um fiel escudeiro do parlamentar, o secretário Artur Bernardes, filiado ao PSD de Rosso.

Indignação 2

Não tem uma semana que o PSD veiculou propaganda política justamente exaltando a área que comanda, inclusive com a participação de sua esposa, Karina Rosso, subsecretária do GDF. Com tantos laços e espaços no governo, a manifestação crítica ligou o sinal de atenção para os  que olham o hoje e já enxergam 2018.

Vale Tudo por OSs

Não tem mais volta. A decisão está tomada. Contra o bom senso e contra os maus exemplos, o Governo do Distrito Federal está resolvido: É OS ou nada.
Os argumentos já não convencem, por mais evidentes e contrários que sejam. 
Os órgãos de fiscalização lavaram as mãos e a Câmara Legislativa é a última barreira pra impedir que um novo escândalo chegue aqui. 
Para tentar convencer os parlamentares todos os instrumentos serão usados. Um verdadeiro vale tudo. 
E a saúde!! A saúde deixa pra lá.

Abusando de errar

Não é de hoje que a nossa coluna alerta sobre a indústria das multas de trânsito, que levam quase meio bilhão de reais para órgãos como DETRAN e DER. Mesmo sem programas de educação no trânsito a ordem é arrecadar, sem pena do bolso do contribuinte, em nome de uma prevenção de acidentes que nunca acontece. Agora sabemos também que a incompetência está na gestão do trânsito e a mudança nas duas principais vias de Taguatinga demonstram isto. Choveram reclamações e até o MPDF, por intermédio da promotora Selma Godoy, resolveu agir contra o novo modelo. Afinal, até quando os órgãos de transito vão abusar do direito de errar e de meter a mão no nosso bolso?

Forcinha

Para reduzir a inadimplência de clientes no pagamento de terrenos, a Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) adotou novas regras para negociação de débitos em atraso. Agora, construtoras, empresários — inclusive os beneficiados pelo programa Pró-DF — e cidadãos que precisem acertar as contas com a autarquia podem pagar apenas 5% das parcelas vencidas para pedir a renegociação.


Forcinha 2

Antes, o mínimo era 15%, independentemente da quantidade de acordos dessa natureza já firmados com a autarquia. “Em tempos de dificuldade financeira, a Terracap foi sensível à situação dos clientes. Pelo menos 94% da receita da empresa vem da venda de terrenos, e, por isso, decidimos adequar as parcelas à realidade deles”, explica o diretor financeiro da Agência de Desenvolvimento, Carlos Artur Hauschild.

Condenadas

A Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor (Prodecon) obteve a condenação de três grandes distribuidoras de gás por dano moral coletivo em razão da prática de cartel para a venda de gás liquefeito de petróleo (GLP) – gás de cozinha. Cada empresa terá de pagar R$ 250 mil, o valor será revertido ao Fundo Distrital de Defesa de Direitos Difusos.

Condenadas 2

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal reconheceu que as distribuidoras realizaram cartel para uniformizar os preços de venda e revenda de GLP, o que gerou prejuízo direto à livre concorrência e ao consumidor do Distrito Federal. Para o promotor de Justiça Paulo Roberto Binicheski, o aumento teve como objetivo ganhos ilegítimos, injustificados e arbitrários, por não decorrer de acréscimo de custo da atividade ou de melhoria de qualidade do produto oferecido ao consumidor.

REFLEXÃO DO DIA 

A valorização da mulher deve fazer parte do nosso dia a dia. É por isso, que não me furto a essa responsabilidade!

Sandra Faraj (SD)- deputada distrital

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados