Publicado 02/02/15 às 18:00

Futebol Brasiliense: O Rei está nú

*Por Luiz Simplício 
Quando eu era criança adorava histórias infantis. Em uma delas, um Rei orgulhoso se gabava das ótimas roupas que utilizada e lançava moda.Um alfaiate esperto,vendeu uma roupa invisível dizendo que era exuberante. O Rei, para não se fazer de desentendido, concordou e disse que a roupa ela maravilhosa. Toda elite, para não discordar do Rei, dizia o mesmo. Até que um menino na Rua,durante um desfile da autoridade gritou: “O REI ESTÁ NU!!”. Terminou em gargalhadas e vergonha o desfile do Rei,pois era óbvio que ele estava sem veste alguma.

O que essa história inofensiva tem de nefasto? Parece que no futebol brasiliense,ninguém percebe a roupa “nova” que vestiu!! O futebol do DF está NU!!Pouca mídia se indigna a dizer que 11 times representantes do nosso querido Distrito Federal e entorno não tem sequer estádios para realizar seus jogos.
De cara, o Samambaia desistiu. O BRB tirou o patrocínio que antes sustentavam pobremente TODAS as equipes. O caos tomou conta dos clubes de DF. Estou aqui fugindo dos casos específicos como o Formosa que está tentando a duras penas de suas heroicas Diretoria e Prefeitura reformar o gramado do Diogão (Estádio) desde o ano passado e o Paracatu, que mudou de cidade (antes era Unaí) exatamente para tentar viabilizar o futebol.

Também temos que encarar a humilhação de ter o Luziânia campeão do DF,o que num resumo direto significa que do PRÓPRIO DF,não temos um único representante do DF nas 4 divisões do Futebol Brasileiro, situação pior do que nossos queridos Estados do Amapá, Piauí, Rondônia, Roraima e outros.

Por favor!! Não vamos cair na tentação de que o futebol de Brasília não tem solução. Brasiliense já foi da série A, Gama também. Recentemente tivemos o bravo Brasília campeão da Copa Verde,Luziânia fazendo frente ao Fortaleza. Em termos de história,já tivemos Ceub, Brasília, Gama, Brasiliense,Brasília,Taguatinga...tantos outros bem colocados no cenário nacional.
Temos alguns heróis atuais. Os cronistas da ABCD que vão aos jogos para tentar transmitir os jogos que ninguém tem acesso. As diretorias e jogadores. O torcedor , que MESMO COM O ESTÁDIO FECHADO, vai para a porta do Estádio e grita um incentivo para seu time. Por mais que não gostasse de futebol, não posso, de forma alguma, deixar que um esporte tão apaixonante,numa cidade maravilhosa, seja jogado no lixo. Esporte dá emprego, ajuda a economia, educa cidadãos e dá qualidade de vida. 

Querem um exemplo de solução: Nos anos 70 o futebol no México era fraco.Mesmo depois da Copa, os times não tinha apelo. Estádios enormes vazios, assim como existem aqui. A Federação Mexicana contratou 20 jogadores,pagou do próprio bolso e sorteou entre os times.Completava com jogadores sub 20,sem custo,dos próprios clubes. Os jogadores conhecidos, embora famosos,já estavam fora de mercado, mas tinham algo a contribuir. 

Por exemplo: Você sairia de casa para ver o Edmundo jogar? Acredito que sim...Foi nisso que a Federação apostou. Organizou um campeonato impecável, com ingressos baratos para quem comprasse antecipadamente. A intenção era encher os estádios. A Federação Mexicana fez isso durante 05 longos anos. Depois,não precisou mais investir sem retorno. O campeonato estava estabelecido.
Não estou aqui dizendo que a Federação Brasiliense tenha que “bancar” o campeonato. Nosso caso não é tão drástico, mas se tivéssemos apoio da CBF,como já foi a Copa Verde e boa vontade na organização por parte da Federação Brasiliense,talvez possamos sair do atoleiro.Não dá para “virar as costas” e jogar a culpa nos clubes!!
Não dá para fazer o Paracatu sair da sua cidade para jogar em Sobradinho com portões fechados!! Dessa forma, todo mundo vai rir da roupa do Rei...e com razão!!

* Luiz Simplício é jornalista, comentarista e grande conhecedor do Futebol Candango 

ZapZap
 
Copyright © 2015 - Todos os direitos reservados